Cruz das Almas: enfermeira acusada de desviar vacina é inocentada

Matéria publicada hoje (18) pelo portal Jornal Grande Bahia, aponta que “a técnica de Enfermagem do município de Cruz das Almas, Vera Assis, foi considerada inocente da acusação de desvio de vacina contra Covid”.

Segundo a publicação, o Ministério Público da Bahia considerou improcedente a denúncia feita em janeiro deste ano, pela atual gestão do município. O portal, chegou a transcrever trecho em que a 3ª Promotoria de Justiça do MP de Cruz das Almas, afirma não haver comprovação de desvio do imunizante. “Em nenhuma hipótese é possível afirmar que a vacina foi desviada”.

Em 27 janeiro passado, a prefeitura de Cruz das Almas, abriu sindicância para apurar ‘suposta prática de infração’, contra a servidora, alegando, “se trata do desvio de vacina contra a covid-19, sendo aplicada uma dose da vacina, em uma pessoa desconhecida e que não faz parte da fase atual do Plano Municipal de Vacinação“.

.

A vítima

.

(Trechos da decisão do MP)

Em suas redes sociais, Vera Lúcia dos Santos (Vera da Saúde), fez um desabafo na tarde desta quarta-feira.

Há 7 meses passei pela pior fase da minha vida. Fui acusada injustamente por uma coisa que não fiz. Durante esse tempo, foram noites mau dormidas, dias tristes e de muito choro. Não acreditava que pela primeira vez em 26 anos, aquilo estava acontecendo comigo“.

Em outro trecho, ela comemorou a decisão e agradeceu o apoio recebido. “Agradeço à Deus, à minha família, ao meu advogado @vagnerreisadv, ao meu ex prefeito @pereiraorlandinho e meus amigos próximos por nunca terem me abandonado, e acreditado nos meus princípios. Também não posso deixar de agradecer a cada palavra lida e recebida das pessoas que me conhecem e me desejavam força durante os dias ruins. Graças a Deus e a vocês, eu estou melhor do que antes“!

.

Resposta da prefeitura

.

O Blog do JC (que em breve passará a ser acessenews.com.br) contatou por Whatsapp, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, sobre um posicionamento da prefeitura. Após a publicação da matéria, recebemos a resposta abaixo.

O processo foi arquivado, por falta de provas suficientes. O que o Município fez foi abrir o processo administrativo diante de uma denuncia“.

***Postagem atualizada às 9:34 de hoje (19).

*Crédito das Imagens: Reprodução Divulgação

Deixe Seu Comentário (digite abaixo)

%d blogueiros gostam disto: